Quer estar em dia com meus textos e vídeos, saber antes dos workshops e receber descontinhos exclusivos?

Dúvidas? Fale comigo no bruna@brufioreti.com.br e me acompanhe pelas redes sociais.

  • White YouTube Icon
  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon

O meio do ano chegou, e o que você quer até o fim de 2018?

June 10, 2018

Senhoras e senhores, o meio do ano chegou. No bombardeio de Dia dos Namorados e Copa do Mundo, você pode ter deixado essa informação passar batido, mas eu não. Poxa, a gente faz todo um esforço para traçar metas em janeiro e esquece de checar como estamos bem no meio do caminho? Para, né? 

 

 

É bem aqui no meio do ano (ou na metade de qualquer meta) que a gente tem a oportunidade de olhar o que queria lá no início e ver o que alcançou, o que não, o que faz sentido e o que não faz mais, o que fez de mais efetivo e deixou de fazer. Levar a cabo, enfim, uma autoavaliação produtiva (e não autodepreciativa) de percurso. 

 

É isso que quero propor hoje para você.  

 

Mas, antes, quero contar minha própria experiência. Posso? 

 

Curso OnlineFiz metas bem detalhadas para 2018, usando as técnicas todas de coaching que falo no meu  e tudo mais. Constatei que, sim, atingi várias delas, diria que as mais importantes -- que bom, afinal, eu trabalho com isso e folgo em saber que o método funciona. Também rolaram várias outras coisas bacanas que não estavam exatamente no meu radar. 

 

Mas vi dois fenômenos interessantes acontecerem com as minhas metas, que queria dividir com você para mostrar que é ok alterar alguns passos no caminho, caso precise: 

 

1) algumas metas menores que tracei lá simplesmente não faziam mais sentido. Por mais que a gente investigue os valores e desejos mais profundos, somos influenciados pelo contexto da feitura das metas. Uma coisa poderia parecer a última bolacha Bono de doce de leite do pacote em novembro de 2017 e simplesmente não ter tanta graça passado um tempo, agora em junho de 2018. E quer saber? Ok! No meu caso, simplesmente removi essas metas secundárias do radar para focar nas principais.  

 

2) algumas metas estavam superdimensionadas. Elas são importantes ainda, eu avancei nelas, mas estavam altas demais para o tanto que me esforcei para atingi-las. Ou seja, era preciso repensar se queria aumentar o prazo para elas ou aumentar o esforço para atingi-las. Removendo metas menores que poderiam estar roubando minha atenção, decidi focar no essencial e olhar para quais delas eu precisaria dedicar mais esforço. Ainda assim, coloquei um prazo mais realista do que estava. Acontece principalmente com quem tem um perfil hiperrealizador, como eu.

 

É importante dizer que isso de querer hiperrealizar pode ser negativo, tá, gente? Porque é um passinho para a frustração. Então eu fico bem de olho!! 

 

Claro que, no meu caso, esse revisitar de metas em junho não foi lá uma surpresa, porque eu o faço mensalmente pelo menos, mas não tinha tirado nada das metas para o meio do ano e o fim do ano. Esperei o momento.

 

Essa parada estratégica para pensar as coisas com uma perspectiva maior foi muito saudável e ajudou a me dar um gás maior para avançar naquilo que realmente importa. 

 

Agora, vamos para a sua revisão de meio de ano! 

 

A sugestão é que você releia tudo o que planejou no início do ano ou final do ano passado e use este roteiro de perguntas: 

 

- Eu atingi essa meta?  Caso a resposta seja não, por que não atingi?  

- Essa meta ainda faz sentido para mim? Por que realmente quero isso?

- O prazo está realista? Preciso alterar algo nesse prazo ou algum outro detalhe?

- Quero acrescentar alguma meta até dezembro ou meta mais imediata, para 1 ou 3 meses? 

- Quais são meus próximos passos para avançar nas minhas metas? 

 

Se você não fez metas para 2018 ou quiser complementar a proposta acima, pode fazer um balanço alternativo, que consiste em simplesmente escrever o que se passou na sua vida de janeiro para cá e se perguntar: 


- Como foram os últimos seis meses? 

- Qual o maior desafio que superei? 

- Em que mais evoluí?

- O que parecia muito importante para mim à época? E agora, o que é realmente importante para mim? Algo mudou? 

- Existe algum hábito que eu queria mudar? 

- Tenho alguma meta para realizar até o fim do ano? 

 

Essa paradinha estratégica no meio do percurso tem grandes chances de te ajudar a se motivar e redimensionar problemas. Poucos minutinhos de autocoaching que você faz hoje, nesta semana, e que te poupam de perder tempo com o que não interessa nos meses seguintes.

 

Recomendo! 

 

Veja também:

 

Guia prático para ter mais disciplina e cumprir metas e objetivos

 

Como se organizar no dia a dia e produzir mais: dicas express de coaching!

 

 

 

 

  

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Recentes

Please reload

Arquivo

Please reload